Lancheira das crianças

 
Lancheira das crianças
quarta, 30 setembro 2009, 11:06

Lancheira com comida saudável ajuda a prevenir doenças em crianças


*

MARIANA GARCIA
da Revista da Folha

Pode não parecer, mas preparar uma merenda saudável para os pequenos levarem à escola --e comerem-- é tarefa dificílima. Trocar guloseimas sedutoras, como bolacha recheada, bisnaga, salgadinho, bolo industrializado e chocolate, por frutas, sucos naturais, pães integrais e queijo branco, por exemplo, pode livrar seu filho de doenças sérias, como diabetes, hipertensão e alguns dos tipos de câncer mais comuns no Brasil.

"Hoje em dia, as crianças têm hábitos alimentares muito irregulares. Consomem grande quantidade de alimentos gordurosos e industrializados e refrigerantes e sucos artificiais --excessivamente açucarados--, além de abusar do sal. Com isso, elas não só estão mais propensas a engordar, como também prejudicam seu organismo", alerta a pediatra e nutróloga Anne Lise Dias Brasil, da Faculdade Paulista de Medicina.

Como consequência do abuso de alimentos com alto teor de açúcar, os pequenos estão mais propensos a desenvolver diabetes tipo 2. "Até 30 anos atrás, era praticamente impossível encontrar uma criança no hospital que sofresse especificamente desse tipo de diabetes. Infelizmente, hoje seu índice já ultrapassou o da diabetes tipo 1 [doença autoimune em que o próprio organismo do paciente destrói as células produtoras de insulina]", diz Anne Lise.

Se, por um lado, sobram calorias, por outro, a dieta da criançada está cada vez mais pobre em fibras, alerta a médica. "As fibras estão presente nas frutas, nas verduras e nos legumes. Comer esses alimentos diariamente é fundamental para prevenir o desenvolvimento, mais tarde, de câncer no intestino, na mama, no rim e no pâncreas, por exemplo."

Mãe de Thiago Henrique, cinco anos, a enfermeira Carine Oliveira, 33, sabe dos perigos de uma dieta baseada em guloseimas, mas também conhece as dificuldades de impedir o garoto de devorar uma bolacha recheada fora de casa.

"Na escolinha do meu filho, durante o recreio, as crianças trocam as opções de lanche que levam nas lancheiras. Eu procuro incluir sempre uma fruta e um sanduíche de pão integral com queijo branco, mas, de vez em quando, preciso colocar uma bisnaguinha com requeijão, porque sei que algumas mães mandam salgadinhos e biscoito recheado. Se eu não colocar, ele vai comer do mesmo jeito. Então, prefiro dosar", conta a mãe.

A tática de Carine tem a aprovação da nutricionista Maria Antonieta Carvalhaes, professora da Faculdade de Medicina da Unesp de Botucatu. "Pais e escolas que querem mudar para uma merenda mais saudável devem conversar e planejar as mudanças aos poucos. Os adultos devem dar bons exemplos, valorizar a comida saudável e comer o mesmo que dão às crianças", afirma a especialista.

Lancheira saudável
Opções saudáveis e saborosas para incluir no lanche do seu filho

Fora da geladeira*

Frutas
Prepare um pote com diversas frutas coloridas picadas (sugestão: mamão, pera, abacaxi, melão e uva). Se for incluir apenas uma fruta inteira, dê preferência para banana, goiaba, maçã ou pera

Bolos, pães e biscoitos
Esqueça os bolos recheados, com cobertura e os industrializados de qualquer tipo. Inclua o bolo simples, feito com farinha branca --para incrementar, acrescente uva passas à massa. Outras opções são bolo de fubá caseiro e de cenoura. Biscoitos recheados não são recomendáveis, já que são ricos em gordura trans. Substitua-os por biscoito integral ou por bolachas de gergelim. Pão francês sem miolo, recheado com geléia de frutas vermelhas (de preferência caseira), é outra opção saborosa e nutritiva. Pão integral com margarina e cenoura crua ralada pode ser uma alternativa interessante.

Na geladeira

Sanduíches
Prefira o pão de forma com grãos integrais. Sugestões de recheio: atum desfiado, azeite, ricota e uma folha de alface; uma fatia de lagarto, tomate e alface; queijo fresco e tomate

Torta de legumes

*Evite leite, iogurte, carnes, frios, ovos, maionese e queijos

Fontes: Anne Lise Dias Brasil, pediatra nutróloga do departamento de pediatria da Unifesp; e Maria Antonieta Carvalhaes, nutricionista e professora da Faculdade de Medicina da Unesp/Botucatu

Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/folha/equilibrio/noticias/ult263u532320.shtml Acesso em 06/07/09